Passageiros com necessidades especiais

A Binter facilita a viagem dos passageiros com necessidade de assistência em cumprimento do Regulamento 1107/2006 sobre os direitos das pessoas com incapacidade ou mobilidade reduzida no transporte aéreo. Recomendamos comunicar as necessidades especiais com pelo menos 48 horas de antecedência. Isto permite-nos solicitar o serviço de assistência requerido e garantir que as necessidades de segurança no vôo estejam cobertas.

Pode-se comunicar as necessidades no momento de realizar a reserva tanto numa agencia de viagens, como na nossa própria página web, serviço de atendimento telefónico (900 105 189 - +34 928 327 748 - Portugal +351 291 290 129) ou nas agências de vendas no aeroporto.

Necessidades especiais

    Mobilidade reduzida (3 tipos):
  • - Dificuldade para caminhar mas com capacidade para subir e descer escadas e chegar ao assento pelo seu próprio pé.
  • - Grande dificuldade para caminhar, não podem subir e descer escadas mas sim chegar até ao seu assento.
  • - Incapacidade para caminhar, se requere assistência a todo momento.
    Dificuldade de visão ou cegos, com ou sem cão guía.
    Dificuldades auditivas, surdos ou surdo-mudos.
    Incapacidade intelectual.
    Viajar com animal de apoio emocional
  • Deverá apresentar certificado médico em papel carimbado de um profissional colegiado de saúde mental autorizado declarando:
  • - Que o passageiro tem uma incapacidade relacionada com a saúde mental
  • - Que é necessário para a sua saúde mental ou tratamento que o animal o acompanhe.
  • - Que a pessoa que avalia o passageiro seja um profissional de saúde mental autorizado, e que o passageiro esteja baixo o seu cuidado profissional.
  • - Data e tipo de autorização do profissional de saúde mental e em que estado ou jurisdição se expidiu
    Outras (qualquer outra necessidade não incluida anteriormente).

Segurança no vôo

  • O número de passageiros com necessidades especiais num mesmo vôo pode estar limitado por motivos de segurança pelo que recomendamos gerir a reserva com a maior antecedência possível.
  • Os passageiros não ambulatórios não capazes de moverem-se, manipular o seu cinto de segurança, o colete salvavidas e a máscara de oxigênio, assim como compreender as instruções de segurança, devem poder ser assistidos por um acompanhante.
  • Em caso necessário se poderá transportar como máximo a um passageiro não ambulatório não capaz de mover-se que viaje só já que as suas necessidades de segurança ficarão cobertas pela tripulação, sempre e quando no mesmo vôo não viagem mais de 2 menores não acompanhados.

Cães-guia, animais de apoio emocional e equipamentos de mobilidade:

  • A Binter, sem encargos adicionais, prestará o serviço de transporte de cães-guia e animais de apoio emocional na cabina, nos termos das legislações nacionais, da equipa médica e até dois equipamentos de mobilidade por pessoa, desde que haja uma notificação prévia com, no mínimo, 48 horas de antecedência, as limitações de espaço a bordo do avião não o impedem e a legislação pertinente em matéria de mercadorias perigosas é cumprida.
  • Para aceitar a reserva de dispositivos de ajudas motrizes impulsionadas por baterias é necessário que nos forneçam os seguintes dados:
    • 1. Tipo de dispositivo: cadeira de rodas, scooter, andarilho, etc.
    • 2. Dispositivo Dobrável ou Não Dobrável.
    • 3. Dispositivo Basculante ou Não basculante
    • 4. Peso do dispositivo.
    • 5. Dimensões:
      • - Indicadas sempre em centímetros e nesta ordem: comprimento x largura x altura (LxAxh).
      • - Quando o dispositivo for dobrável, as dimensões serão sempre dobrado.
    • 6. Tipo de bateria instalada:
      • - Bateria seca (WCBD)
      • - Bateria húmida (WCBW): neste caso, também derramável ou não derramável.
      • - Bateria de lítio (WCLB)
    • 7. No caso de cadeiras dobráveis com baterias de lítio WCLB, deve ser indicado se as baterias devem ser desmontadas para serem dobradas.
    • 8. Número de baterias.
    • 9. A potência das baterias deve ser indicada em Watts-hora (Wh) ou na sua falta, a tensão em Volts (V) e a capacidade em Amperes-hora (Ah).
    • NOTA: É essencial não confundir Amperes (A) e Watts (W) com Amperes-hora (Ah) e Watts-hora (Wh). Todas as limitações são aplicadas à unidade por hora.
    • 10. No caso de transporte de baterias sobressalentes: A quantidade de baterias sobressalentes deve ser detalhada, bem como os Wh (ou V + Ah) destas. Além disso, o cliente será informado de que as baterias devem ser sempre protegidas, com os bornes isolados.
  • As cadeiras de rodas accionadas mecánicamente terão a consideração de artigos ou acessórios pessoais do passageiro e pelo tanto não estarão sujeitas a cobros de excesso de bagagem, sempre que seja indispensável a utilização da mesma quando se trate de passageiros em condições físicas especiais, que deverão de ter reserva como PMR (pessoa de mobilidade reduzida) no registo do vôo.
  • Com o intuito de evitar possíveis danos á aeronave e para a total segurança no vôo, as cadeiras de rodas accionadas mecánicamente só serão aceitadas no vôo no porão, sempre e quando se cumpram os seguintes requisitos:
    • - Cadeiras de rodas acionadas por baterias secas (acumuladores antiderramáveis): devem ter o acumulador da bateria desligado e devidamente fixado à cadeira e os bornes isolados (seguindo as instruções do pessoal do aeroporto).
    • - Cadeiras de rodas acionadas por baterias húmidas (acumuladores derramáveis): a cadeira deve poder carregada, arrumada, fixada e descarregada sempre na posição vertical. O acumulador deve ser desligado e fixado à cadeira e os bornes isolados. (Punto y seguido) Se as condições não forem cumpridas, o acumulador tem de ser separado da cadeira, estar protegido contra curto-circuitos, rodeado por material absorvente suficiente para absorver todo o líquido contido, ser embalado adequadamente (embalagens estanques, inalteráveis ao eletrolítico e protegidos contra movimentos violentos) e na posição vertical.
    • - Cadeiras de rodas com baterias de lítio: o passageiro deve informar os watts/hora (WH) da bateria no momento da reserva. Se a bateria for removível, deve ser removida seguindo as instruções do dispositivo e protegida de possíveis danos, por exemplo, colocando-a num estojo de proteção. A bateria deve ser transportada na cabina de passageiros. Os terminais da bateria devem ser protegidos contra curto-circuitos e os circuitos elétricos devem ser inibidos. As baterias de Ião/Metal Lítio devem ser de um tipo que tenha sido testado que cumprem as condições de cada um dos testes do Manual de Ensaios e Critérios das Nações Unidas, Parte III, Subsecção 38.3. Pode consultar mais informações neste documento: Limitações Bateria de Lítio.
  • As bengalas podem ser transportadas como bagagem de mão, a menos que tenham uma ponta de metal. Apesar disso, é necessário ter em conta que tem que passar os controlos de segurança dos aeroportos, alheios à companhia aérea, pelo que é recomendável consultar também o seu pessoal.
  • Quando se trata de grupos, recomendamos fazer a reserva com um mês de antecedência, para ter tempo suficiente para gerir o pedido.